O que é e como funciona a Teleconsulta

por Lívia Nogueira em 24/07/2020 ⇠ Veja outros Posts

Teleconsulta é o formato de consulta em que o médico se comunica com pacientes de forma remota e digital e para isso utiliza chamadas por videoconferências para que os atendimentos sejam feitos.

A teleconsulta possibilita a geração de diagnósticos precisos e também apresenta grandes oportunidades para trocas de informações entre médicos especialistas na telemedicina, bem como também encontros virtuais para debates e palestras que visam trocas de conhecimentos e experiências.

Trata-se de um recurso bastante valioso, tanto para os profissionais da saúde quanto para suas clínicas e hospitais, visto que possibilita o alcance em mais pacientes com atendimento de qualidade e de forma mais rápida. Algo bem interessante relacionado a isso é que pessoas em comunidades remotas, onde geralmente há carência de profissionais da saúde, também têm a possibilidade de acesso.

Durante a pandemia que estamos vivendo do Covid-19, o CFM (Conselho Federal de Medicina) permitiu este formato de atendimento. Além de ser fundamental para manter os pacientes assistidos, os mantêm protegidos em casa (principalmente os que fazem parte de grupos de risco) e ajuda também a não superlotar o sistema de saúde, visto que através da teleconsulta é possível fazer uma triagem de quem realmente precisa ir presencialmente no centro de saúde em questão.

Neste post veremos como a Telemedicina é essencial durante a pandemia, tendo em vista as diversas possibilidades que a Teleconsulta oferece.

Afinal, o que é a teleconsulta?

Na prática, teleconsulta é a troca de informações entre o profissional da saúde e o paciente através de chamadas por vídeos. Graças aos diversos aplicativos disponíveis no mercado de forma gratuita e à evolução da taxa de transferência de dados na internet, as chamadas são realizadas em tempo real com alta qualidade de imagem e som.

A teleconsulta é um dos viés Telemedicina e se trata da evolução do conceito tradicional que conhecemos de consulta médica.

A Telemedicina apresenta diversas aplicações e especialidades. Exemplos são a consulta médica básica, laudos a distância, diagnósticos precisos de exames de imagem, troca de informações entre especialistas da medicina e até mesmo prescrição de remédios e tratamentos.

Com a possibilidade da teleconsulta, o paciente pode ter acesso a um médico de forma totalmente remota e online, evitando assim o deslocamento até a clínica ou hospital. 

Obviamente há alguns fatores essenciais para que esse formato de consulta seja possível, certo? São eles: o acesso à internet através de dispositivos móveis ou computadores para a realização das vídeo-chamadas, algum aplicativo ou plataforma utilizada para a realização da consulta, especialistas devidamente treinados e pré-agendamento com o médico em questão.

O cenário ideal é que ao menos a primeira consulta seja feita presencialmente, para aí então manter os retornos de forma online, quando o médico já conhece o paciente e sabe no que ele precisa focar. Ou manter uma frequência de, esporadicamente, ir na consulta de forma presencial. Mas, sabemos que não estamos num cenário comum com a pandemia acontecendo.

Como funciona

São diversas as formas que a teleconsulta pode ser utilizada. Veja algumas delas:

  • Consulta entre médico e paciente: realizada de forma direta entre os dois, sem outro médico ou profissional da saúde na mediação 

    Entre médicos: acontece quando um médico busca uma segunda opinião no diagnóstico de um paciente, opinião sobre um medicamento mais indicado ou também opinião sobre a realização de um determinado procedimento com outro médico de sua confiança. Nessa forma o paciente pode ou não estar presente, mas o foco é a interação entre os médicos para trocarem opiniões.

  • De forma simultânea: consulta em vídeo, por exemplo, onde a interação é imediata, acontecendo num curto espaço de tempo.

  • De forma não simultânea: não há a necessidade de interação direta entre médico e paciente, pois pode acontecer em horários diferentes. Exemplo disso é quando o paciente precisa de uma receita médica e após algum tempo do contato que teve com o paciente, o mesmo recebe a receita médica de forma online através de e-mail ou whatsapp.

Esse último formato costuma ser utilizado também quando não há urgência nas respostas, ou não há necessidade de interação direta, como é o caso da telerradiologia, exames de imagem e laudos a distância. 

Modalidades da teleconsulta

Em março de 2020 o Conselho Federal de Medicina (CFM), com a pandemia, encaminhou um documento ao ministro da saúde sobre as modalidades permitidas aos médicos durante esse período. São elas:

  • Teleorientação: possibilidade de encaminhar pacientes em isolamento

  • Telemonitoramento: permissão para que pacientes sejam monitorados a distância acompanhando os parâmetros de saúde e/ou doença, desde que esteja sob orientações ou supervisão médicas

  • Teleinterconsulta: visando o auxílio diagnóstico ou terapêutico, essa modalidade permite a troca de informações e opiniões entre médicos especialistas em Telemedicina.

Além da medicina, outras profissões da área da saúde também possuem regulamentações sobre teleconsulta. São elas:

  • Fonoaudiologia: permite, desde com o profissional fonoaudiólogo presente junto ao paciente, o apoio por avaliação à distância (Resolução CFFa nº 366/2009)

  • Psicologia: seja em caráter clínico ou de pesquisa, há a regulamentação de várias modalidades de serviços psicológicos à distância (Resolução CFP Nº 011/2012)

Algo curioso é que a resolução 2227/18 do Conselho Federal de Medicina diz, ainda, que os médicos brasileiros podem realizar consultas de forma remota e online incluindo até mesmo a prática de telecirurgias e telediagnóstico.

Em casos de locais remotos como florestas e plataformas de petróleo, a mesma lei citada acima da resolução do CFM diz que a consulta pode também ser de forma totalmente online, desde que haja um acompanhamento de um profissional da saúde.

Em casos de telediagnósticos é necessária a utilização de câmeras de alta resolução, pois assim é possível realizar exames como os de garganta e ouvido à distância. Mas nesses casos é obrigatório que haja um apoio de profissional de saúde que esteja presencialmente com o paciente para ajudar a completar o exame.

Prescrições médicas também são permitidas de forma online. Mas todo esse processo só é possível e permitido caso o documento contenha os dados de identificação do paciente, o nome do médico, seu registro no CRM, seu endereço e assinatura digital.

A teleconsulta é um bom exemplo do avanço cada vez mais veloz da tecnologia e suas possibilidades de oferecer cuidados e bem-estar para as pessoas.

Com essa imensidão de possibilidades para teleconsulta acontecer de forma remota e online, ela encurta distância entre os médicos e pacientes, permite uma abrangência maior em locais remotos ou de precário atendimento que usualmente não seriam capazes de atender muitos pacientes e, consequentemente, amplia todo o potencial de atuação dos médicos e profissionais da saúde envolvidos.

 

Para quaisquer dúvidas que possam surgir sobre o tema ou sobre o nosso sistema propriamente dito, estamos à disposição para saná-las e ajudar no que for necessário. 

Fique de olho e nos acompanhe nas próximas postagens! :)

Lívia Nogueira

Lívia é do time de Marketing e redatora do BeeRads.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar: