DICOM: o que é e como funciona?

por Lívia Nogueira em 24/07/2020 ⇠ Veja outros Posts

Assim como mencionamos no post sobre ferramenta PACS, o surgimento da DICOM (Digital Imaging and Communications in Medicine - Comunicação de Imagens Digitais em Medicina) se deu em 1983 e foi a base para a criação do PACS.

DICOM é um conjunto de normas que visa padronizar o armazenamento de imagens médicas em formato eletrônico. Assim, o padrão de qualidade de imagens para exames é ditado pelo DICOM e o software responsável pelo manuseio dessas imagens é o PACS.

Com o avanço da tecnologia, cada vez mais métodos surgem para facilitar e auxiliar os profissionais e o dia a dia da área da saúde. 

Devido a necessidade de estabelecer um padrão, o DICOM foi criado para arquivamento e transferência de imagens e informações para quaisquer dispositivos, independente do formato que o fabricante de origem adotar.

Além de facilitar o trabalho dos profissionais da telemedicina e da rotina das clínicas e hospitais, esse padrão proporciona bastante qualidade nos diagnósticos e, consequentemente, mais segurança aos pacientes também, por saberem que seus dados estão armazenados da melhor forma possível.

O padrão uniforme que o DICOM proporciona para as análises e interpretações clínicas dispensa uma equipe médica presente, para que assim o laudo seja feito de forma online.

dicom

Como funciona?

O DICOM funciona de forma com que as imagens digitais e informações geradas pelos diversos equipamentos de exames diagnósticos fiquem num formato único. E este formato único permite que os arquivos possam ser visualizados em computadores no formato JPEG e impressos de forma usual.

Conforme mencionado, o objetivo do DICOM é criar uma padronização para a enorme quantidade de informações que é gerada nos mais diversos tipos de equipamentos que as equipes especializadas em telemedicina utilizam em suas rotinas médicas.

Ele visa simplificar exames de imagens nos seus mais diversos formatos possíveis da telerradiologia, como tomografias, ressonâncias magnéticas ou radiografias, entre outros, tendo como base a utilização de sistemas computadorizados.

O DICOM possibilitou o término das inconsistências na troca de informações que são realizadas entre os profissionais de saúde. Com ele, tais inconsistências se tornam cada vez menos frequentes, visto que com ele há mais segurança não podendo, por exemplo, ter uma avaliação de imagem acessada em outro equipamento que não aquele em que tal avaliação teve sua origem.

 

Inovação para a medicina

Nem todos os aparelhos seguem o padrão DICOM. Há ainda na área da saúde muitos aparelhos que são bastante antigos, por serem da época anterior a popularização do padrão DICOM.

Tais aparelhos permanecem em constante utilização no mercado, mas pelo DICOM se tratar de uma padronização, a intenção é que realmente o mercado se adapte, sendo necessário que todos avancem para essa padronização.

Para auxiliar nessa transição há um software disponível no mercado que foi desenvolvido para converter imagens de vídeo para o formato DICOM. Assim, todas as imagens que ainda não foram padronizadas podem se adequar e serem convertidas. 

Tal software é conhecido como Capta e possibilita que imagens geradas através dos exames realizados nos pacientes sejam convertidas para o formato padrão DICOM.

Além de ser uma tendência que todas as clínicas e unidades de saúde precisam se adaptar, o DICOM é o único formato aceitável na utilização do PACS, conforme te mostramos nesse post. Assim, é o formato que utilizamos então no BeeRads.

 

Bônus! Quais são os principais benefícios do DICOM?

  • Melhor comunicação entre médicos e instituições de saúde: facilita a rotina dos profissionais e dos pacientes, tendo em vista que terão o diagnóstico de forma mais rápida e precisa.

  • Diagnósticos com mais qualidade e precisão: nitidez nos resultados de exames e, consequentemente, facilita a visualização, análise e interpretação.

  • Compartilhamento de imagens: possibilidade de compartilhamento em seu formato padrão tanto em computadores quanto em dispositivos móveis como celulares e tablets, o que permite então que os laudos possam ser emitidos a distância. A maior vantagem disso é que por poder ser compartilhado de forma facilitada por diferentes especialistas, ajuda também na análise e discussão de casos clínicos.

  • Avanço da medicina: o DICOM contribui bastante para o avanço da telemedicina, visando a padronização em protocolos clínicos, pois otimiza cada vez mais os processos de busca e aprendizagem médica.

  • Vantagens para as clínicas e unidades de saúde: possibilita oferecer serviços de qualidade nos mais diversos ramos da telemedicina sem a necessidade de uma equipe de médicos presente fisicamente. Com isso há a possibilidade de atrair e, principalmente, fidelizar pacientes, visto que é uma maneira notável de expansão de atuação e de se destacar cada vez mais no mercado.

  • Processos com protocolos uniformes: segurança de dados para os profissionais da saúde e para os pacientes, visto que tem a garantia de nenhum arquivo se perder.

  • Exames encaminhados via internet: como as imagens não sofrem alteração na qualidade (principalmente na nitidez), não dá brecha para a geração de equívocos durante a interpretação dos exames feitas pelos médicos responsáveis.

  • Impacto positivo nos processos que envolvem protocolos: assegura que as imagens sejam armazenadas em outros dispositivos além do computador, como até mesmo na nuvem.


É bastante notável todos as vantagens e avanços para a telemedicina que o DICOM traz em sua bagagem em constante avanço e evolução para que possa oferecer cada vez uma melhor versão aos profissionais da saúde e seus respectivos pacientes, bem como para as clínicas e centros de saúde.

Para quaisquer dúvidas que possam surgir sobre o tema ou sobre o nosso sistema propriamente dito, estamos à disposição para saná-las e ajudar no que for necessário. 

Fique de olho e nos acompanhe nas próximas postagens! :)

Lívia Nogueira

Lívia é do time de Marketing e redatora do BeeRads.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar: